MNU Bahia

Denúncia de mais um caso de violência policial em Salvador

2023-07-17

Nós do Movimento Negro Unificado – Bahia, viemos manifestar nosso repúdio a mais um caso de truculência e abuso de poder vindo da Polícia Militar em Salvador. Na noite deste último domingo (16/07), uma mulher negra foi arrastada, algemada e espancada pela polícia por uma denúncia vinda de duas pessoas brancas que a tinham agredido. Ainda que não saibamos o nome da mulher, recebemos vídeos, relatos e denúncias desse caso de racismo absurdo que ocorreu num dos bairros nobres de Salvador, Barra.

A mulher, namorada de um rapaz branco conhecido no bairro, foi expulsa de casa após descobrir uma traição, o ocorrido aconteceu no Condomínio Santo Antônio da Barra, 272, Endereço: R. Ten. Pires Ferreira, 272 – Barra, Salvador – BA, 40130-160. Após discussões, ela foi posta para fora de casa sem direito a recolher suas coisas. Nesse momento, surge a Síndica que ao chegar iniciou uma discussão proferindo falas racistas, e logo após empurrando a mulher. Todas as cenas registradas pelos moradores. Entretanto, pelo privilégio da sua branquitude, a síndica (que não tinha nada a ver com a história) chamou a polícia para a mulher preta que tentava apenas reaver suas coisas. Assim que a Polícia Militar chegou, cerca de cinco pessoas no total, sendo apenas uma policial mulher, entraram no prédio, bateram na mulher preta, chutaram, puxaram o cabelo, seguraram-na no pescoço e assim a algemaram enquanto ela gritava por socorro e os vizinhos pediam para parar. Ela afirmava que tinha medo de matarem ela, eles foram altamente truculentos, ainda que ouvindo as denúncias dos vizinhos que presenciaram tudo.

Enquanto a mulher preta foi colocada de forma truculenta no camburão, a síndica mulher branca entrou pela porta da frente do carro. E o homem nada fez, apenas assistiu a cena e nem a delegacia foi. Esse caso demonstra o despreparo da Polícia Militar, que em nenhum momento ouviu a vítima da situação. O racismo em Salvador é extremamente contundente, e a branquitude de Salvador que se protege coaduna com todas essas violências.

O MNU-Ba repudia totalmente a forma violenta e desproporcional como a mulher preta foi tratada, e volta a cobrar a instalação imediata das câmeras no fardamento de todas as polícias, para que agressões como esta sejam registradas e posteriormente os responsáveis sejam punidos pela truculência.

CÂMERAS NAS POLÍCIAS JÁ!

 

Sobre

Movimento Negro Unificado (MNU) é uma organização pioneira na luta do Povo Negro no Brasil. Fundada no dia 18 de junho de 1978, e lançada publicamente no dia 7 de julho, deste mesmo ano, em evento nas escadarias do Teatro Municipal de São Paulo em pleno regime militar. O ato representou um marco referencial histórico na luta contra a discriminação racial no país.

Redes Sociais