MNU Bahia

Movimento Negro Unificado na Bahia promove campanha durante o 2 de Julho e convoca a população na reinvindicação por uso de câmeras nos fardamentos policiais.

WhatsApp Image 2023-07-03 at 01.25.51

Entidade histórica do Movimento Negro na Bahia elege nova coordenação e vai às ruas denunciando os altos índices de extermínio da juventude negra Campanha “Câmeras nas Polícias Já! Contra o Extermínio da Juventude
Negra.”.

Segundo dados do levantamento anual feito pela Rede de Observatórios da Segurança, cerca de 96,9% das pessoas com cor e raça informadas assassinadas pela Polícia Militar da Bahia, em 2019, eram negras: das 489 vítimas por
intervenção policial identificadas, 474 eram pretas ou pardas.

Já em 2020, ainda de acordo com a Rede Observatórios de Segurança, mesmo em meio à pandemia e quarentenas, houve um aumento de 21,08% de mortes por ações policiais em relação ao ano anterior. Em 2020, foram 87 pessoas mortas pela polícia no estado.

Tendo em vista a histórica luta dos movimentos negros no país, O Movimento Negro Unificado na Bahia participou do tradicional desfile de 02 de Julho, em Salvador, levando paras as ruas a campanha “Câmeras nas Polícias Já!”.

“Reivindicamos das autoridades total compromisso com a vida do povo negro da Bahia, que tem sido exterminado a cada dia por violências e violações, principalmente, institucionais. A cor da violência é negra, e a bala tem como alvo a vida preta. O auto de resistência serve apenas como desculpa pra matar jovens negros periféricos de todo o estado.”, afirma Samira Soares, Coordenadora Geral do MNU na Bahia, eleita no último sábado (1).

No mês que a entidade celebra 45 anos de existência, foi realizado o Encontro Estadual entre os dias 30 de junho e 02 de julho de 2023, elegendo a nova coordenação do Movimento Negro Unificado da Bahia. O Encontro reuniu cerca de 120 militantes de 27 municípios do estado, com debates sobre o combate ao racismo na Bahia.

Em um processo amplamente divulgado e construído por agentes de diversas articulações sociais de combate ao racismo no estado, além de figuras históricas do MNU, o encontro e a eleição ocorreram de forma bastante convergente à um objetivo: a reorganização do MNU na Bahia como organização que buscará intensificar o debate sobre racismo, assim como cobranças de posicionamentos das instituições, seja com foco em fomentar a discussão, seja na responsabilização de crimes contra a população negra.

Samira Soares foi eleita a coordenadora mais jovem da história da entidade, o que reforça a necessidade do combate ao extermínio da juventude negra, que acaba interrompendo vidas e planos de futuros artistas, médicos, advogados e também de lideranças políticas.

A chapa “MNU Renovado” foi eleita por unanimidade da militância, devidamente credenciada, presente na assembleia eleitoral.

Nova Coordenação Estadual do MNU Bahia:

Coordenação Geral Estadual do MNU Bahia – Samira Soares (Lençóis)
Secretário Estadual de Tesouraria – Silas Felix (Salvador)
Secretário Estadual de Formação Política – Raimundo Bujão (Salvador)
Secretária Estadual de Organização – Lidiane Yoshioka (Xique-Xique)
Coordenação Estadual de Comunicação – Edval Serpa (Salvador)
Coordenação Estadual Jurídica – Jade Andrade (Salvador)
Coordenação Estadual de Educação – Maria Domingas (Itabuna)
Coordenação Estadual de Juventude – Sara Sacramento (Lauro de Freitas)
Coordenação Estadual de Mulheres – Cristina Viana (Senhor do Bonfim)
Coordenação Estadual LGBTQIAPN+ – Michele Nascimento (Lençóis)
Coordenação Estadual Sindical – Bete Sacramento (Lauro de Freitas)
Coordenação Estadual de Justiça e Direitos Humanos – Isadora Salomão (Salvador)
Coordenação Estadual de Povos e Comunidades Tradicionais e de Matriz Africana – Moacir Pinho (Ilhéus)
Coordenação Estadual de Cultura – Josivaldo Félix (Pau Brasil)
Coordenação Estadual de Saúde – Thaise Viana (Salvador)
Coordenação Estadual de Etnodesenvolvimento – Beto Pretto (Salvador)
Coordenação Estadual de Relações Institucionais – Ademario Costa (Salvador)

A nova gestão assumiu compromisso de lutar contra todas as opressões de raça, gênero e discriminação de gênero que envolve a população negra

 

Sobre

Movimento Negro Unificado (MNU) é uma organização pioneira na luta do Povo Negro no Brasil. Fundada no dia 18 de junho de 1978, e lançada publicamente no dia 7 de julho, deste mesmo ano, em evento nas escadarias do Teatro Municipal de São Paulo em pleno regime militar. O ato representou um marco referencial histórico na luta contra a discriminação racial no país.

Redes Sociais